Ibovespa fecha em alta de 0,81% puxada pela Copel; dólar cai a R$ 5,31

Com queda de 1,18%, moeda norte-americana teve maior desvalorização percentual diária desde o último dia 11

O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira (21), com as ações da Copel encerrando com alta de 22% em meio a planos de privatização para a elétrica paranaense, enquanto persistem preocupações com o rumo fiscal do país e novos surtos de Covid-19 na China adicionam receios sobre a atividade econômica mundial.

O principal índice da bolsa brasileira subiu 0,81%, aos 109.748,18 pontos. Na máxima, chegou a 110.235,29 pontos e na mínima, quando sofreu o tombo do petróleo que afetou Petrobras, atingiu 107.957,01 pontos.

Pela manhã, o Ibovespa operou em alta, com os mercados reagindo positivamente a falas recentes mais conciliadoras do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva sobre a futura postura fiscal do Brasil.

Na semana passada, o principal índice da bolsa caiu 3% e o dólar subiu 0,75% no acumulado do período, refletindo o aumento dos riscos fiscais, após a apresentação da minuta da PEC do Estouro com o valor de R$ 200 bilhões ante os R$ 175 bilhões que eram esperados.

dólar encerrou em queda de 1,18% nesta segunda-feira, cotado a R$ 5,311, apesar da força da moeda norte-americana no exterior, com investidores reagindo positivamente a falas mais conciliadoras de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre a postura fiscal do Brasil e se atendo a esperanças de que a PEC da Transição seja desidratada durante tramitação no Congresso.

Foi a maior desvalorização percentual diária desde o último dia 11 (-1,24%) e o patamar de encerramento mais baixo em exatamente uma semana (R$ 5,30).

Câmbio

Lula disse no sábado (19) que a responsabilidade fiscal é importante, afirmando que “não podemos gastar mais do que a gente ganha”, embora tenha reforçado seu compromisso com o investimento na economia e no bem-estar social do país.

Na sexta-feira (18), o presidente eleito já havia dito ter ficado feliz com a carta aberta de economistas que alertaram para o risco de se subestimar reações adversas dos mercados financeiros a medidas que vão contra a responsabilidade fiscal, e garantiu ter compromisso com o controle das contas públicas.

As falas de Lula vieram em meio às negociações da PEC de Transição, cuja minuta apresentada pelo governo eleito prevê uma exceção ao teto de gastos no valor de quase R$ 200 bilhões e por tempo indeterminado, termos que desagradaram profundamente aos mercados.

“Felizmente, o Congresso também reagiu negativamente à proposta e começa a negociar pelo menos em duas direções”, avaliou a Genial Investimentos em relatório enviado a clientes. “De um lado, uma redução do valor do aumento do ‘ pé direito’  do teto… A segunda linha de negociação é retirar o programa Auxílio Brasil do teto apenas em 2023 e renegociar no final do próximo ano.”

Maciel Vicente, consultor de câmbio da iHUB Investimentos, disse à Reuters que as negociações do mercado de câmbio doméstico devem permanecer voláteis enquanto durarem as negociações da PEC da Transição e o processo de escolha das equipes ministeriais oficiais de Lula.

Ainda assim, ele avaliou que, salvo um acontecimento “extraordinário” que assuste os mercados durante o processo de transição, o real deve eventualmente retomar a tendência de enfraquecimento que apresentou durante boa parte de 2022, em meio a fundamentos econômicos mais atraentes do que o de vários de seus pares emergentes.

Vicente espera que o dólar oscile numa faixa entre R$ 5,10 e R$ 5,30 ao longo dos próximos dois a três meses, mas recue num longo prazo –em cerca de 12 meses– para intervalo de R$ 4,90 a R$ 5,10.

Embora tenha disparado recentemente em meio a temores fiscais, o dólar ainda cai cerca de 5% frente à divisa brasileira até agora no ano. No mesmo período, o índice que compara o dólar a uma cesta de seis pares fortes dispara quase 13%.

As perdas da divisa norte-americana nesta manhã vieram na contramão do exterior, onde o índice do dólar avançava 0,85%. Ao mesmo tempo, vários pares arriscados do real operaram em forte queda nesta segunda-feira, com peso mexicano, dólar australiano e rand sul-africano perdendo de 0,6% a 1%.

O Banco Inter citou em nota “cautela de investidores à medida que os casos de Covid-19 aumentam e novos lockdowns vão sendo impostos na China”, bem como desconforto dos mercados com sinalizações mais duras contra a inflação de autoridades do banco central dos Estados Unidos.

O Ibovespa passou para território negativo no começo da tarde desta segunda-feira (21), com petroleiras e siderúrgicas liderando as quedas. Entre as maiores altas, o destaque para as ações da Copel, que subiam mais de 20%, após o governo do Paraná anunciar que pretende privatizar a elétrica.

Histórico e expectativas

O pessimismo aumentou ainda mais depois que o presidente eleito Lula fez críticas ao teto de gastos, dizendo que a regra que impede o aumento das despesas acima da inflação tira dinheiro do social, da saúde e da educação. Especulações sobre o nome para o Ministério da Economia, com Fernando Haddad entre os cotados, ajudou a completar o clima de incerteza na semana passada.

A semana terminou, porém, com o mercado um pouco mais aliviado após Lula mudar sua retórica e dizer que o Brasil terá, sim, responsabilidade fiscal e que se o conselho for bom, ele vai seguir, fazendo referência a críticas feitas em carta aberta pelos economistas Armínio Fraga, Pedro Malan e Edmar Bacha.

Nesta semana, os olhos se voltam para possível definição do nome do novo ministro da Economia e também sobre os detalhes adicionais da PEC do Estouro. Integrantes do PT já discutem uma redução do valor de R$ 200 bilhões, enquanto a oposição apresentou uma PEC alternativa, que reduz o estouro do teto para R$ 70 bilhões.

Nesta sessão, o Banco Central fará leilão de até 16 mil contratos de swap cambial tradicional para fins de rolagem do vencimento de 1° de dezembro de 2022.

https://www.livelo.com.br