Black Friday: veja dicas de especialistas para aproveitar (de verdade) a data

Apesar das ofertas muitas vezes tentadoras, especialistas consultados pela CNN ressaltam a importância do planejamento financeiro

As expectativas do comércio para Black Friday desta sexta-feira (25) estão altas. A data deve registrar a maior movimentação financeira desde que chegou ao Brasil em 2010, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Consumo e Turismo (CNC).

Apesar das ofertas tentadoras, especialistas consultados ressaltam a importância do planejamento financeiro, definindo prioridades, não gastando mais que o orçamento permite e fazendo pesquisas extensivas antes de comprar quaisquer produtos e serviços.

Confira as principais dicas dos especialistas para fazer boas compras e aproveitar a data sem culpa:

Faça uma lista e defina orçamentos

Apesar de ser Black Friday, o orçamento e o salário do consumidor não mudam com a data. Portanto, fazer uma lista de necessidades e desejos é a primeira dica em qualquer evento do comércio. Épocas de promoções podem ser positivas para o bolso do consumidor, mas só se usar as ofertas com planejamento e organização.

Seguindo a lista à risca e cumprindo com o teto de gastos estabelecido, a chance de endividamento e de gastos com juros diminui. “É fundamental ponderar se a compra de determinado item, ainda que em valor promocional, cabe no bolso e não irá comprometer o orçamento”, orienta o Procon-SP.

Faça pesquisa de preços (com antecedência)

Lista feita, o ideal é começar a pesquisa dos preços o quanto antes. Além de ser possível saber se o desconto oferecido vale a pena, o consumidor já pode planejar o orçamento para o gasto.

Mesmo em cima da hora, Marcel Jacob, vice-presidente de B2C da Infracommerce, afirma que ainda dá tempo. “Muitas marcas, varejos, marketplaces guardam as promoções com maior desconto e itens mais procurados para o dia da Black Friday, e se prolongam ao longo do final de semana até a Cyber Monday”, afirma.

Existem algumas ferramentas que possibilitam essa comparação de preço. Confira algumas delas:

  • Zoom: a plataforma de comparativo de preços permite que o consumidor crie um alerta nos produtos que deseja comprar para receber uma notificação quando ocorrer uma oferta, com um histórico de preços que mostra em um gráfico a variação de preços de um produto nos últimos 40 dias ou 6 meses;
  • Buscapé: também com uma seção para a Black Friday, o site do Buscapé permite pesquisar produtos por faixa de preço e de desconto. Além de possuir o histórico de preços e o alerta de ofertas, a plataforma também disponibiliza selos indicando os produtos que possuem cashback;
  • Black Friday de Verdade: lançada em 2014, o site oferece uma extensão (plug in) para o navegador, que ajuda o consumidor a comparar e monitorar preços nas maiores lojas da internet, além de alguns cupons de desconto. A plataforma possui o Termo de Compromisso, no qual todas as lojas da campanha assinam se comprometendo a oferecer descontos reais, condições transparentes e seguras ao consumidor;
  • Google: na área de compras, permite que você pesquise e compare preços.

Caso use o navegador para fazer suas pesquisas, o ideal e que o faça utilizando uma aba anônima. Isso porque alguns lojistas têm algoritmos que pesquisam o histórico do consumidor para induzir a compra.

Além disso, não se esqueça de conferir os preços nas lojas físicas: os preços ofertados podem ser diferentes do anunciado no canal online.

Busque por sites confiáveis e oficiais

Antes de concluir a compra, o consumidor deve conferir se o site que está comprando é seguro. Um dos principais métodos de golpistas é enviar links e anúncios que simulam o site oficial, mas que, ao efetuar a compra, se provam fraudulentos, ou ainda instalam softwares maliciosos sem que o usuário se dê conta.

A Senacon orienta a procura por sites oficiais das lojas que interessem o consumidor e cuidado com anúncios de fornecedores desconhecidos.

Vale conferir listas de fornecedores que devem ser evitados, publicadas por alguns Procons.

“Observar se a empresa tem endereço físico, consultar o CNPJ no site da Receita Federal e verificar se foi criada há poucos dias são medidas importantes”, alerta o Procon-SP.

A plataforma consumidor.gov.br permite que a checagem da reputação de grandes varejistas, incluindo também reclamações, experiências de usuários e outros dados relevante.

Outra dica é manter uma cópia dos anúncios e suas condições, para que o usuário possa recorrer ao fornecedor ou ao Procon em caso de descumprimento pela loja das normas acordadas. É interessante também pegar uma declaração por escrito, em lojas físicas, caso um produto comprado possa ser trocado, em modelo ou tamanho.

Cuidado redobrado com os golpes

Para não cair em golpes durante a Black Friday, o Idec publicou uma série de dicas para se prevenir e aproveitar as promoções com responsabilidade.

Segundo o instituto, pesquisar os preços antes de comprar é essencial. Visite sites e lojas diferentes com, pelo menos, duas semanas de antecedência e pesquise o preço, as condições de venda e as especificações do produto.

Alguns sites e os Procons fazem monitoramento de preço para ajudar os consumidores a escolherem empresas com boa reputação.

Para se resguardar, guarde o folheto ou faça uma foto da tela do computador ou celular (print screen) com a demonstração do produto, valor, e também com informação do link, nome da empresa, data e hora em que foi feita a pesquisa.

A Senacon faz um alerta para que consumidores tenham atenção redobrada em compras via e-commerce, onde as práticas enganosas são mais recorrentes.

Aposte no cashback e cupons de descontos

Douglas Pucci, head de Sales CoAktion, orienta ficar de olho nos cupons e cashbacks é fundamental para aproveitar ao máximo os descontos da Black Friday. Existem sites que compilam os cupons e aplicativos de cashback para produtos e serviços específicos, portanto, dependendo da sua lista, vale procurar um aplicativo que coincida com as suas necessidades.

“É primordial alinhar seu orçamento destinado para a compra com as ofertas disponíveis, e se possível, se utilizar de soluções como cashback e programas de pontos para adquirir produtos. Inclusive essa tem sido a estratégia de algumas empresas para captar novos clientes utilizando esses recursos”, explica Douglas.

Antes de concluir a compra

Pesquisou, achou um bom desconto em site confiável e colocou o produto no carrinho? Agora observe custe de frete, prazo de entrega, meios de pagamento e políticas de troca e devolução.

Em relação ao frete, algumas empresas podem subir os valores para compensar os descontos nos produtos. Por isso, é preciso calcular o valor do transporte para ter certeza que a compra realmente está valendo a pena.

O prazo de entrega é crucial, especialmente para quem está se planejando para comprar presentes de Natal. Como é uma época de maior demanda, os prazos podem estar maiores, então precisa haver uma atenção redobrada para não ter ficar sem presentear ou ter que comprar duas vezes.

Sobre os meios de pagamento, o ProconSP alerta que, ao fazer o pagamento de uma compra por meio do boleto bancário, o consumidor deve conferir todos os dados antes de finalizar o pagamento – como o nome da empresa, data, CNPJ, etc. Ao pagar via Pix, o destinatário do pagamento também deve ser conferido atentamente.

Também reitera que as compras feitas fora do estabelecimento comercial — por telefone, em domicílio, telemarketing, catálogos ou internet — o consumidor tem prazo de sete dias para o desistir da operação, sem precisar apresentar justificativa. Além disso, você tem o direito de receber seu dinheiro de volta, sem ter que arcar com qualquer custo, inclusive de frete e outras taxas.

O período é contado a partir da data de aquisição do produto ou de seu recebimento.

https://www.movida.com.br